sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

a arte da vida

Dizem que a vida é a arte do possível. Sei lá. Tenho suficiente apreço pela vida para evitar afirmações tão dúbias. Entendo por possível o limite conhecido, a fronteira com o insondável, o último passo até chegar à porta que não se consegue abrir, a escuridão que
se crê invencível.
A vida é arte. Só isso. Com seus traços geniais, criando cores e formas inconcebíveis, traduzindo o que nem é dito, redefinindo o infinito, misturando incompatibilidades, a ponto de tonteá-las, variando temperaturas anarquicamente, propondo a dança das cadeiras com a teoria e a prática. Quem permanecerá de pé? O coração, que não é bobo, prefere outra brincadeira e sai, pé ante pé, em busca do rio que não dê pé, para nele mergulhar depressa. Afinal, sem essa de ficar torrando à toa, tornando-se trapo, para que o rato roa.
Talvez possamos dizer que a arte dá vida ao impossível. 

Se assim for, vivamos com arte, seja lá como for.
E, cada pra nós, aí fica muito mais divertido.

2 comentários:

  1. Que 2014 seja do jeitinho que você quer, além de te dar muita saúde e alegrias, e que você continue nos encantando sempre!

    ResponderExcluir
  2. Felicíssimo 2014 para você, Angela.

    ResponderExcluir