terça-feira, 30 de novembro de 2010

prefácio

Chuva acariciando o travesseiro
Sol à espera da cortina abrir
Palavras sedutoras, com caneta tinteiro
E o passado sorridente que há de vir

Cheiro de terra molhada
Sonata de pássaros ao amanhecer
A colcha toda arranhada
pelas peles, sem doer

Mistura de promessas pela casa
Frutas e pão quentinho à espera
Esperança que transborda da taça
Flores que enfeitam o caminho dela

2 comentários:

  1. Bonito este prefácio que abre as portas a um novo dia que se espera ameno.

    Um beijo

    ResponderExcluir