quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Com trastes

- Eu moro no morro
- Eu morro de medo

- Eu peço socorro
- Só corro mais tarde

- Estou desempregado
- E eu desapegado


- Eu tenho quatro filhos
- Eu tenho dois carros

- Não abro mão da minha fé
- Não abro mão do meu chofer

- Às vezes me sinto cansado
- Às vezes me sinto casado

- Não gosto de dívida
- Não gosto de dividir

- Sonho é uma casa
- Minha casa é um sonho

- Há Deus
- Adeus

6 comentários:

  1. O embuste do sentido, enriquece o jogo das palavras...
    Beijo.

    ResponderExcluir
  2. Metáforas que criamos
    para suportar as mentiras que inventamos
    Jogamos com as frases
    ou somos jogados na metástase?

    ResponderExcluir
  3. Metástases de cinismo, indiferença e idiotice sociais, Nathalia.

    ResponderExcluir
  4. Gostei de você ter lido e gostado.
    Câmbio.

    ResponderExcluir