sexta-feira, 15 de abril de 2011

fugas fugazes

Por que foges?
Custou tanto encontrar, para que tantos palheiros?
Do que foges?
Se o espanto curou o pranto, contentar-se, no entanto, com sorrisos passageiros?
Que fazes com as fugas?
Fases, faces e frases sempre fugazes?
Desventuras trazem rugas!
Reinventar rotas...seremos capazes?

7 comentários:

  1. Oi,

    Muitas vezes fugimos do inevitável... mas será que adianta?

    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Às vezes, parece fuga, mas não é. É só cansaço, agenda lotada, compromissos atropelando-nos, um certo desespero para tudo conseguir alcançar. Teu texto me lembrou a mim mesma. Já fugi, mas agora estou apenas "busy". Só que fica parecendo a história do menino e do lobo. Pode ser que muitos amigos/leitores não creiam nas minhas palavras, mas o tempo provará e o futuro.

    Saudades de passar aqui. Estou visitando os amigos em doses homeopáticas.

    Um abraço,

    Suzana/LILY

    ResponderExcluir
  3. Ai, nem quero saber de rugas! Cadê o espelho?

    Risos...

    Beijos,

    Suzana/LILY

    ResponderExcluir
  4. A fuga possibilita olhar pra dentro, o silêncio.
    e quem sabe ?reinventar rotas...

    abraço Helcio

    ResponderExcluir
  5. Um lindo e abençoado fim de semana.

    Doce beijo.

    ResponderExcluir
  6. Poetas

    Poetas são flores,
    Que com o tempo começam a desbrotar,
    As pétalas são o pensamento,
    Que ao longo vai recitar.


    Poetas são estrelas a Brilhar,
    As suas luzes vêem do céu,
    Que com um toque de magia,
    Começam a se esnpirar.

    Poetas são águas,
    Que vão ao rio a descer,
    Vão levando as tristezas,
    Que deixaram de viver.

    ResponderExcluir