segunda-feira, 17 de maio de 2010

as razões da loucura

Não repare nos silêncios,
cicatrizes das palavras,
não foi fácil contar histórias
lá de onde eu vim.

Não repare nas palavras,
hemorragia de desejos,
não foi fácil calar instintos,
lá de onde eu vim.

Não repare nos desejos,
vizinhos da loucura,
não foi fácil estancar os medos
lá de onde eu vim.

Não repare na loucura
amante da razão,
não foi fácil remendar os sonhos,
lá de onde eu vim.

Não repare nas razões
que eu tenho pra te amar,
não foi fácil resgatar a vida,
lá...de onde eu vim.

5 comentários:

  1. Por enquanto esse foi o que eu mais gostei! - Gabriel

    ResponderExcluir
  2. Valeu, Gabriel. Volte sempre.

    ResponderExcluir
  3. é, nossas origens definem tudo, razões, características, definem medos, algumas vezes é necessário deixar lá o onde, e só vir...

    bj

    ResponderExcluir
  4. É verdade, Patrícia. Vir, ir, sentir, permitir-se...

    ResponderExcluir
  5. Não repare nas razões
    que eu tenho pra te amar,
    não foi fácil resgatar a vida,
    lá...de onde eu vim.

    Ainda não tá sendo fácil, mas eu to quaseeee conseguindo!

    PS: NÃO REPARE!!!

    ResponderExcluir