quarta-feira, 3 de agosto de 2011

ingenuidade

Lembranças das brincadeiras ingênuas e das besteiras nuas que
provocavam risadas. 
Duas crianças crescidas que adormeciam
abraçadas às próprias travessuras. 
A satisfação sem rasuras,
estampada no espelho, com a sua assinatura.
 

10 comentários:

  1. nada mais lindo que besteiras ingénuas e travessuras nuas...
    ...dormitar abraçado(s) a elas...
    belo, o teu post, Helcio.
    beijo:)

    ResponderExcluir
  2. Muito obrigado pelo carinho, Maria!

    ResponderExcluir
  3. Helcio!

    Existe coisa mais linda e pura que a ingenuidade?

    LINDO!

    Beijos

    Mirze

    ResponderExcluir
  4. E puureza é artigo tão raro nos nossos dias,Mirze!

    ResponderExcluir
  5. o gosto de gostar e se entregar neste gostar simplesmente por gostar de estar, adorei , fiquei com saudade

    ResponderExcluir
  6. "Há um menino, há um moleque. Morando sempre no meu coração. Toda vez que o adulto balança. Ele vem pra me dar a mão ..."

    Achei o texto de uma beleza ímpar! Encantador, Helcio.

    Um abraço

    ResponderExcluir
  7. Muito legal a letra que te veio à mente, Michele. Tudo a ver com o texto. Abraço.

    ResponderExcluir
  8. Q delícia de lembrança...

    Beijinho

    Maria

    ResponderExcluir