terça-feira, 12 de julho de 2011

a nossa canção

A vela arde na madrugada
Lambe as sombras acesas
Ao vê-la, nunca é tarde para nada
E as vertigens, impossível contê-las

A brisa confunde a imagem
Meus olhos e os teus tremulam inquietos
Nossos sentidos não sabem o que fazem
Rodeamos as luzes, qual insetos

Um pássaro retalhando o ar
A panela chiando de fome
Se tu sabes, para que perguntar?
Se eu soubesse, diria teu nome

Quem treme mais: a cortina ou eu?
As horas se espalham pela pele, sem noção
Ficou em mim o jeito que é teu
Escorrendo no rosto o gosto da nossa canção

34 comentários:

  1. Helcio

    A canção mais bela ainda é aquela acompanhada pelo pulsar do coração.

    Um abraço

    ResponderExcluir
  2. Fantástico!!! Sem outras palavras pra elogiar... tá perfeito esse poema... amei... lindo demais... parabéns!!!

    BeijooO*

    ResponderExcluir
  3. Olá Hélcio,
    Que grande poeta! Sua poesia deixou-me encantada. É muito linda e sensibilizadora.
    Senti-me como se estivesse dentro dos seus versos. Adorei.
    Gostaria que conhecesse meu espaço e, se gostar, siga-me e deixe um comentário em minha postagem, ok? Já o estou seguindo e voltarei mais vezes aqui.
    Um grande abraço,
    Maria Paraguassu.

    ResponderExcluir
  4. Teu carinho é estímulo para que a poesia flua, Valéria!

    ResponderExcluir
  5. Obrigado pela visita e pelo comentário, Maria!

    ResponderExcluir
  6. É assim o amor, cheio de detalhes...
    Um beijo
    Denise

    ResponderExcluir
  7. Tal vela que treme
    a alma do poeta geme
    de paixao ou dor
    amargo ou doce sabor..

    ResponderExcluir
  8. Olá amigo Hélcio.
    Sou eu de novo a pedir-te um favorzinho: já que comentastes a minha postagem e, por sinal adorei teu comentário, poderias me seguir junto aos meus fiéis amigos e seguidores? Adoraria ver seu rosto entre os que já me seguem.
    Um grande beijo,
    Maria Paraguassu.

    ResponderExcluir
  9. Cara amiga Maria, bem que tentei, mas a minha conta é gmail e, talvez, por isso não consegui fazer o login.

    ResponderExcluir
  10. http://fernandoteixeira.blogspot.com/
    Mudei de blog e este é o meu novo.
    Apesar de dizer que o segues, a verdade e que tens de carregar em seguir outra vez para o estares mesmo a fazer

    ResponderExcluir
  11. Que linda, que romântica esta canção poética que vem do coração, que brota da alma...
    Bjo
    Valéria

    ResponderExcluir
  12. Que belo sentir, Hélcio!
    Fazia tempo que não vinha aqui..e continua tudo muito especial.
    Um Beijo e obrigada por seu carinho.

    ResponderExcluir
  13. Venha ourtras vezes, Pat! Eu é que agradeço o carinho.

    ResponderExcluir
  14. Tremulam as cortinas, a vela, o coração.
    Movimentam-se os corpos, a sombra da vela, o vento nas cortinas. Tudo é movimento e vida.
    Linda poesia!

    ResponderExcluir
  15. As horas se espalham pela pele...

    Me empresta esse bauzinho de palavras-borboleta que vc tem ai escondidinho na alma?
    Que lindo!
    Beijokas, meu amigo, e um lindo fds.

    ResponderExcluir
  16. Carinhosamente venho desejar
    um feliz final de semana.
    beijos no coração,Evanir.
    Helcio lindas demais suas poesias vou te esperar no meu blog já sou sua seguidora.

    ResponderExcluir
  17. Lindo seu blog, te convido pra conhecer o meu: www.mariadimaria@blogspot.com
    Um abraço
    Maria di Maria

    ResponderExcluir
  18. Quem treme mais: a cortina ou eu?
    As horas se espalham pela pele, sem noção
    Ficou em mim o jeito que é teu
    Escorrendo no rosto o gosto da nossa canção. Um Poema lindissimo. Parabéns! Gostei muito de conhecer seu blog. Voltarei mais vezes e vou seguir-te... Um Abraço!

    ResponderExcluir
  19. Bom dia,Helcio!

    Que bela poesia...cadenciada,envolvente!!
    Belíssimos versos!
    Um abraços pra ti!
    *Se puderes visite meu blog?Obrigada!
    floresnojardimdavida.blogspot.com

    ResponderExcluir
  20. Irei lá, certamente, Vivian!
    Lindo fs pra ti!
    Abraço!!

    ResponderExcluir
  21. Smareis, fico feliz pela visita e pelo afeto do comenário. Abraço.

    ResponderExcluir
  22. Lua, o bauzinho n,ão está escondido, explicita-se nos poemas, que suam minha alma. Abraços.

    ResponderExcluir
  23. Evanir, fds de luz pra vc!! Abraço carinhoso!

    ResponderExcluir
  24. Vela e vê-la.... e nunca é tarde, gostei disso.
    Horas espalhadas pela pele, canção no rosto, tanta paixão e um toque bonito de gente nova, sem travas.

    ResponderExcluir
  25. Travas...nem na chuteira, Walkyria!

    ResponderExcluir