quinta-feira, 22 de julho de 2010

o que soul

Sou novamente antigo
Eu sou a maré
Eu sou pão e sou o trigo
Sou mais que isso, até

Sou a chama que se acende
Eu sou o lampião
Sou o que você não compreende,
mas não sou em vão

Sou a beira do caminho
Eu sou a voz do vento
Sou a embriaguez do vinho
e a lucidez que invento

Soo como soa o sino
Suo sua procura
Sou também seu desatino
e o seu bem sem cura


Sou a fresta da estrada,
que convida à mudança
Soul e blues na madrugada
Sou o som que te balança.

15 comentários:

  1. Musical, estetica e sonoramente falando.

    ResponderExcluir
  2. Sou o que sou, e nada mais me basta!

    ResponderExcluir
  3. É mesmo, Helcio!
    Você é tudo isso!
    Por isso parece tão completo!
    Mas eu destaco:
    -Você é o total desatino!
    -Soul e blues na madrugada
    -O som que ... balanceia..., que desconcerta balança!...
    Beijo doce p'ra você.

    ResponderExcluir
  4. Sabe o que você é? Simplesmente INCRÍVEL!!!!!
    Te amo, papi!!

    Ps. Outros Encantos captou o seu soul

    ResponderExcluir
  5. Gosto do teu gingado Helcio,
    teus quebrados
    os brincos montados de cada
    galho letrado.
    Gosto do tira gosto,
    como do prato cheio,
    tudo que vier, sabor e cheiro
    como a pimenta escondida
    que ascende olhos vermelhos...

    Lindo, lindo te acompanhar.
    Parece que a inspiração mora contigo.

    manda ela pra cá! rsrss

    bjs

    Livinha

    ResponderExcluir
  6. A innspiração já está em você, Livinha.

    ResponderExcluir
  7. Obrigado pelo carinho, OutrosEncantos

    ResponderExcluir
  8. MA RA VI LHO SO!!!
    Adorei...você é um ser de uma riqueza interior que muito me impresiona...
    Beijos...
    Valéria

    ResponderExcluir
  9. Helcio Maia...nos dando presentes diários, nos permitindo viagens intensas enquanto lemos a sua poesia. Beijos querido!

    ResponderExcluir
  10. parece uma música....
    solmos...
    hehehe
    muito legal!

    ResponderExcluir