domingo, 6 de fevereiro de 2011

Um dia um certo pai...Intensidade (Tainá)


Um dia um certo alguém me propôs escrever sobre intensidade. Um dia, então, perguntei-me o que era isso. O estado de estar intensa mente. Em intensa mente. Pensei, então, que é o estado mais natural das coisas, que, por vezes e com o tempo, por excessos de “normalizações“ e de atenções que nos tornam desatentos, vai se esvaindo... E nós, então, vamos nos perdendo. De nós mesmos e do mundo. Intensa mente quem sabe onde está. E, se sabe onde está, está presente em si. Está presente no mundo. Olhar para as estrelas e realmente vê-las é estar intensamente. E só aqueles que o fazem conseguem ver além delas. É a consciência de estar, agora, aqui. Era uma vez um certo pai. Um certo pai-poeta, um adulto-criança que descobriu no seu jeito de ser o seu modo de ter intensa mente. Por vezes, se perde de si em meio a “urgentismos” e incredulidades que o paralisam, mas estes são logo ofuscados por seu ser-paixão-amor. Apaixona-se pela (e ama a) vida, o mundo e aqueles que estão nele, e transpõe essa paixão de um modo muito amoroso para a poesia, para a música, para a psicologia, para a arte que é tanto daquilo que ele é. Ama a paixão e é apaixonado pelo amor. E, nesse dualismo, encontra a maneira de “jogar fora o lixo“ e de estar no único local que realmente importa.

Era uma vez duas irmãs... Duas filhas que intensamente amam seu pai. Que são intensa-apaixonada-mente por ele e que tentam demonstrar, por meio dessa homenagem ao poeta mais pai do mundo, como ele é um dos grandes responsáveis por vivermos (intensamente).

14 comentários:

  1. Tainá, Naná, minha filha caçula, intensifica minha mente, encoraja meu coração, aviva minha vida.
    Estar, por inteiro, em tudo que fazemos, em cada ato, por mais minimalista que seja, é ousadia, severamente punida pelos vigilantes da normalidade. A voltagem, não raro, ultrapassa os 220 v, haja adrenalina, confete, serpentina...
    Ser retratado dessa maneira, tão comovente, só aumenta a responsabilidade e a vontade de amar cada vez mais intensamente.
    Além disso, agradecer a Deus o privilégio de ter duas filhas tão sublimes, tão intensamente filhas.
    Amo você, Naná, em sua intensa idade, em qualquer cidade que estiver.
    Belíssimo texto!!

    ResponderExcluir
  2. E, por falar em intensidade, o que dizer de alguém que desenha, canta, toca instrumentos, pinta e borda na vida, transbordando talento?

    ResponderExcluir
  3. O que dizer de quem diz só com o olhar, de quem olha para a essência das coisas, sem pestanejar?

    ResponderExcluir
  4. Uau!
    Isso é que é escrever intensamente! Belissimo texto. Parabéns Tainá, parabéns Helcio!
    Bjsssssss

    ResponderExcluir
  5. Helcio querido,
    Este é o melhor presente que podemos receber da vida, o amor dos nossos filhos. E que alegria saber que você tem a admiração dessas queridas.
    Um beijo, com carinho
    Denise

    ResponderExcluir
  6. Isso justifica todo o nosso caminhar.
    Beijo carinhoso, Denise!

    ResponderExcluir
  7. Não poderia ser diferente do que: INTENSO!

    Este sentir, esta paixão pelo pai é linda! Um poeta de encanto com duas princesas intensas no sentir.

    Meu beijo aos três...

    ResponderExcluir
  8. Beijo, Pat. Muito bom ler seu comentário, intensamente afetuoso.

    ResponderExcluir
  9. "Quando um CERTO ALGUÉM desperta um sentimento é melhor não resistir e se entregar". Esse "certo alguém" sou eu, hahaha! Irmãzinha, esse tema tem tudo a ver com o papai, certo?
    Bela homenagem!
    Amo vocês!

    ResponderExcluir
  10. E eu amo vocês, a não poder mais!!!!

    ResponderExcluir
  11. Tainá, lindo texto, é o seu pai! Lindo ver vocês três, no amor, na poesia e na vida, de forma intensa.

    Beijo nos três!!!

    ResponderExcluir
  12. Obrigada, Pati!! Saudade de você!! Marli e Denise, obrigada também!! Papai e Nana, amo vocês intensamente!!! Intensamente é viver nessa nossa família tão única e tão a gente (:

    ResponderExcluir