domingo, 20 de junho de 2010

as luzes da cidade

  
  Você vestiu meu corpo com o seu sorriso e com a seiva de seu desejo.
  Você me  brindou com   flagrâncias tão diversas, que me embriaguei de você.
  Mas seguimos procurando o "nosso rumo". E nos reencontramos, pertinho do mar.
  E a cidade acendeu-se, fulgurante, como nunca. As canções das ondas ficaram
  ao fundo porque, do fundo de cada um de nós, vieram outros cânticos. Foi
  tanta mansidão, parecia que a vida encostara a cabeça em nossos ombros e
  sonhara acordada, encantada, sob o efeito catártico de nossos olhares
  cúmplices.
  Aquela lua imensa, de uma brancura impossível, era um convite a loucuras
  deliciosas e aceitamos a oferenda.
  Nosso caminhar natural pelas calçadas, de corações descalços, a visão das portarias,
  dos prédios - inestéticas, assépticas, diversas, os quadros que admiramos, ao longe, os
  contrastes que vislumbramos, de perto.
  A manhã trouxe frutas saborosas, a visão de um azul sem fim, talvez,
  influenciado pelos nossos murmúrios de satisfação e cumplicidade.
  Você tem o dom de fazer acontecer uma vida, tem luz para dar e dela
  tenho me servido, para iluminar meus pensamentos.
  Amor, vem me tirar o cinto, amor vem me botar na vida... (sem aspas, pois
  não está literalmente reproduzida a letra, apenas o sentido...e temos, ao
  menos, cinco deles, para nos tocar, sem nos trocar, jamais).
  Cheguei em casa com frutas, mares, luas, néctares do prazer, olhares, confissões e
  promessas espalhados por mim.
  E agora? Só podia, mesmo, entregar a você o sumo de uma saudade e uma
  vontade sumamente declarada.
  Boa noite!
  Beijos enluarados.

30 comentários:

  1. Tá com jeito de paixão!Aproveite, deguste todos esses sentimentos, lembranças e momentos!bjus e boa semana!

    ResponderExcluir
  2. Parece um declaração de amor...

    O "sumo de uma saudade"... Bonita expressão!

    Tenha uma semana maravilhosa.
    Beijos ternos com meu carinho

    ResponderExcluir
  3. Teresa, é uma carta antiga, mas os sentimentos não têm nome, são universais.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  4. Tatiana, é uma declaração de amor...aliás, declaro meu amor pela vida (e pelo amor)todos os dias.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  5. Boa noite, Bruxa. Sonhos coloridos!!

    ResponderExcluir
  6. Leal, apenas, uma antiga carta de amor. Será que cartas de amor envelhecem?

    ResponderExcluir
  7. As manhãs com frutos saborosos , adorei isso Helcio e a visão desse azul , eu entendo .
    boa semana e volto pra buscar mais inspiração.
    abraços

    ResponderExcluir
  8. Amor infinito amor .O que seríamos sem ele ? Beijos na alma.

    ResponderExcluir
  9. uau, muitos beijos enluarados para ti também. Belíssimo texto.

    ResponderExcluir
  10. Ai..., que carta maravilhosaaaa...!
    Outra seca p'ra mais logo...;)) rsss
    Abraço, Helcio.

    ResponderExcluir
  11. Sentimentos assim é como sentirmo-nos árvores andantes, sem o fresco e a luz de cada uma que nos envolve o imaginário.

    BeijooO*

    ResponderExcluir
  12. Lendo o seu comentário para o meu deixado nessa página...Só tenho a dizer: Que maravilha viver assim!
    Que o amor faça de sua vida sempre essa grande dádiva!

    Um abraço carinhoso

    ResponderExcluir
  13. A nós, Tatiana!!
    Abraço com carinho.

    ResponderExcluir
  14. Valéria, gostei da animização: árvores andantes...
    Beijo.

    ResponderExcluir
  15. Outros, tantos, quantos Encantos em cada palavra sua.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  16. Beijos enluarados e ensolarados, Claudinha.

    ResponderExcluir
  17. Lis, esperarei vc, aqui, sempre.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  18. Suely, sem o amor...não seríamos!!
    Beijos com alma.

    ResponderExcluir
  19. Não sei porque, mas lendo esse texto tão lindo e saudoso, me lembrei de um trecho da musica do Chico:


    "Trocando em miúdos, pode guardar.. as sombras de tudo que chamam lar.. As sombras de tudo que fomos nós.. As marcas do amor nos nossos lençóis... As nossas melhores lembranças..."


    Um beijo de bom dia poeta, com cheiro de chuva batendo na terra.
    Um abraço de meia hora hoje !
    (essa minha mania de abraçar rs- mas é que eu adoro.)

    ResponderExcluir
  20. Sil, Sil...rsrs
    A música do Chico caiu bem...
    Beijo de final de manhã, qusse início de tarde...
    mas nunca será tarde demais, para te abraçar!!

    ResponderExcluir
  21. Helcio, olha, não me dê confiança, que a tua escrita me inspira, depois sou como lapa, precisa de faca p'ra descolar da rocha... rsss!

    Esta tua reprise da "carta de amor" me sossegou. Porque eu também acho que cartas de amor são atemporais, passam as gerações mas o significado é sempre o mesmo e as suas palavras têm sonar ainda mais doce, porque "antes" parece que era mais puro e verdadeiro...!

    Assim que te li, me deu uma vontade de fazer também algumas reprises, lá no meu sítio. Você se importa deste meu "copianço" da sua ideia?!

    Te dou um beijo p'ra me dizer que deixa :)))

    ResponderExcluir
  22. Encantos Outros, que não são poucos...
    Copianço no sítio, desde que me convide, tá? rs
    Recebo o beijo.

    ResponderExcluir
  23. Helcioooo..., copianço da ideia sua, republicar meus poemar de amor.
    Desde que aqui venho que você está implicitamente convidado a me visitar. Me perdoe da indelicadeza da minha falta de tacto.

    Também é certo que às vezes me sabe bem colocar no meu espaço poemas ou textos de meus amigos, mas aviso sempre, como é lógico, e sempre dando os devidos créditos. Seria uma honra você me dar essa permissão. Gosto muito do que escreves e como escreves!

    Espero por si, lá nos "Outros Encantos", também em "Tarde de Música".

    Obrigada!
    Beijo.

    ResponderExcluir
  24. OutrosEncantos, visitei-a, visitá-la-ei.
    Permissão mais que concedida, a honra será minha de ter palavras fátuas em outros encantos.

    ResponderExcluir
  25. Você me permite roubar mais um tanto de espaço aqui?!

    Ah!... é o poema de uma canção que eu gosto de ouvir na voz de Tom Waits, acho que acompanha tão bem esta sua declaração, veja só:

    http://www.youtube.com/watch?v=acv_a6O8doo

    GREEN GRASS

    Lay your head where my heart used to be
    Hold the earth above me
    Lay down in the green grass
    Remember when you loved me

    Come closer don't be shy
    Stand beneath a rainy sky
    The moon is over the rise
    Think of me as a train goes by

    Clear the thistles and brambles
    Whistle 'Didn't He Ramble'
    Now there's a bubble of me
    And it's floating in thee

    Stand in the shade of me
    Things are now made of me
    The weather vane will say...
    It smells like rain today

    God took the stars and he tossed 'em
    Can't tell the birds from the blossoms
    You'll never be free of me
    He'll make a tree from me

    Don't say good bye to me
    Describe the sky to me
    And if the sky falls, mark my words
    We'll catch mocking birds

    Lay your head where my heart used to be
    Hold the earth above me
    Lay down in the green grass
    Remember when you loved me

    Abraço
    (qualquer dia vai-me cobrar pelo espaço que lhe ocupo aqui... rsss, vá..., não cobre mt caro...)

    ResponderExcluir
  26. Você não rouba espaço aqui, o espaço é todo seu.
    A canção é belíssima.
    Abraço melodioso (o preço do espaço? tua presença, sempre...)

    ResponderExcluir