quarta-feira, 30 de junho de 2010

mergulho livre

Acordei abraçado em devaneios
e ao nevoeiro que invadiu o quarto.
No escuro, há que andar por outros meios,
buscando a luz, revivendo o parto.

Ancorei, atracado entre teus seios,
e mergulhei, sem máscara, em teu eito.
Vasculhei os teus desvãos, sem preconceitos,
sem me importar com o que é esquerdo...
e o que é direito.

22 comentários:

  1. A intensidade deste querer é sentido mesmo sem se ver! Mergulhar no aconchego de quem nos faz bem é ser inteiro...

    Beijo e lindo dia!

    ResponderExcluir
  2. Sem máscaras... sem roupas... sem pudores... sem vacilar entre escolhas que não devem sequer ser cogitadas no momento do amor... que bom acordar assim...
    Beijos, HM

    ResponderExcluir
  3. Apenas posso agradecer-te pelo seu carinho ... e por ajudar-me a recompor meu coração quebrado! beijo

    ResponderExcluir
  4. Sem importar-se com direito e esquerdo,
    estes também oscilam quando os vemos no espelho...

    ResponderExcluir
  5. Lindo poema...
    Fiquei pensando é na coragem que às vezes (muitas delas [rs]) nos falta para um mergulho livre! 'Sem me importar com o que é esquerdo...
    e o que é direito'!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Ao nevoeiro que acaricia o corpo
    Ao escuro que rasga a luz
    Ao esconderijo do coração
    Ao pecado que perde-se na anatomia polilateral,
    Ofereço a máscara sem rosto
    E me purifico na devassidão!

    ResponderExcluir
  7. Que coisa mais linda é um coração de homem falar da química e da alma feminina com tanta singelesa querido poeta.
    Muito lindo e com cheiro d e escalada de amor meu poeta.
    Bjs de luz. Goretti

    ResponderExcluir
  8. Devassidão poética e contagiante, NR!!

    ResponderExcluir
  9. Mariane, é verdade...e os espelhos refletem os dualismos da gente.

    ResponderExcluir
  10. Devaneios primeiros, né, Angélica?

    ResponderExcluir
  11. Poeta maior!

    Lendo isso que vc escreveu, me fez lembrar uma mulher maravilhosa, chamada Wanda Maria.
    Ela simplesmente foi voluntária de uma clinica, onde desenvolveu a "terapia da poesia".
    Poesia cura sabia? Sei que sim.
    Hj ela ocupa a cadeira nº 11 da academia feminina Espirito Santense de letras.
    Mas enfins, tudo isso só pra dizer o que disse uma vez a uma linda menina que tbm escreve maravilhosamente como você (Priscila Rôde - do blog mar -intimo).

    Sua poesia, cura!

    Um abraço apertado (Sem me importar o que é direito).


    É tão bom
    polir nossas arestas! Só
    assim, os encaixes serão
    melhor vivenciados.
    (Da Wanda, pra vc)!!!!!!!

    ResponderExcluir
  12. OIE... acho muito legal todos os poemas que vc publica.
    Adoro de verdade.

    " Sem me importar com o que é esquerdo, e o que é direito"...

    kisses
    Thaty
    Pedaços do Cotidiano

    ResponderExcluir
  13. Thaty, gostei do comentário, de verdade.
    Abrazos e besos.

    ResponderExcluir
  14. Sil, inspiração maior!
    Suas palavras têm poder, curam o que ainda não dói.
    Abraço de direito!!

    ResponderExcluir
  15. Me fez sorrir essa entrega bonita.

    Beijo, poeta!

    ResponderExcluir