quinta-feira, 17 de junho de 2010

pressentimento

Quando o sol se puser e os homens calarem
tudo será noite e fim,
não gritarei por mim,
pois só restará minha ausência.

As árvores, com seu brilho e teias,
neblina do mistério,
serão meu mar.

O inconsciente transborda
sem aviso, nem chamado
e tudo se perde, junto a mim.

Vou adiante,
inerte como as multidões,
cantando a morte de todos os olhares negados,
correndo atrás de pássaros,
qual gato selvagem.

A lua não é mais Lua
e, para lá do outro lado que não se vê,
encontro-me e desperto
na transparência de uma rua vazia,
perdida pelos cantos dos olhos.

Sem pressa ou culpa,
sigo a trilha a cada instante,
levando, nas mãos,
luas, sóis e abismos.

É na escada que me encontro
vôo pela escuridão alada,
sou farol na tempestade.

Passo a passo,
correndo, vou para lá,
universo subterrâneo
de vidas e morros que se perdem de vista.

E me desdobro,
clareio
e viro o vento,
uivo de todos os tempos. 
 
nota de rodapé: relato de um sonho, desses que a gente sonha, sem saber que é.
 
 

22 comentários:

  1. "Sem pressa ou culpa,
    sigo a trilha a cada instante"
    Adorei essa parte!
    Me vi escrita nela.
    Abço

    ResponderExcluir
  2. Estamos, muitos, escritos e inscritos nessa trilha.
    Abraço, Emili!

    ResponderExcluir
  3. Até nos relatos dos sonhos, a poesia se faz.
    Tudo em você é poesia.
    Prosa, verso, rima.

    E os poetas até nos sonhos, sonham lindo!!

    Um abraço meu querido!!
    Aquele beijo estalado na testa!!
    Sentiu?
    Então tá!

    ResponderExcluir
  4. Senti...um beijo esTESTAlado rsrs

    ResponderExcluir
  5. Sentidos opacos...incertezas momentâneas.
    Coração que pulsa...temores que arrepiam.
    Pensamentos suspensos...vontade de viver.
    O sol...que brilha.
    A árvore...que sabe.
    O insconsciente...que traz...
    ...o vento...que irá transportar...
    ...seus sonhos!

    Nirma Regina

    ResponderExcluir
  6. Belíssimas palavras, Nirma!!
    Obrigado.

    ResponderExcluir
  7. "...e viro o vento,
    uivo de todos os tempos..." eu também, e não é em sonhos...
    Almas afins, amigas através dos tempos, que se reencontram de vida em vida... será? Às vezes acredito nisso... às vezes não acredito em nada...
    Mas acredito que temos uma identificção qualquer...
    Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Olá HM!
    Que lindo poema!
    O poeta traz na alma o sentimento mais nobre, ao qual dá sentido a vida.
    Já escrevi muitos poemas, mas ultimamente as palavras não me fazem mais sentido, ou o tal sentimento nobre evaporou de meu ser.
    Que sua noite seja linda, paz e luz.
    Beijokas, Beta de Santana

    ResponderExcluir
  9. Olá amigo!Fiquei muito feliz com a tua visita, comentário e, principalmente, por teres te tornado seguidor do nosso humilde espaço. Isso somente aumenta a minha responsabilidade de melhorar tudo aquilo que crio e escrevo. Espero que voltes mais vezes, pois será sempre um prazer renovado. Eu particularmente, com certeza aqui voltarei, pois além de me tornar seguidor, tens um espaço muito bonito, interessante e bastante aconchegante.

    Adorei o poema, principalmente a estrofe abaixo:

    Sem pressa ou culpa,
    sigo a trilha a cada instante,
    levando, nas mãos,
    luas, sóis e abismos.

    Abraços,

    Furtado.

    ResponderExcluir
  10. "vôo pela escuridão alada,
    sou farol na tempestade."

    ...
    Sei lá, viu. Todas as minhas palavras parecem ser excessivamente estúpidas para dizer o que quer que seja.

    ResponderExcluir
  11. Lua Nova, quem acredita sempre alcança. Creio, sim, na empatia, mais ainda, na identificação de almas.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  12. Beta,
    obrigado pela visita, pelas palavras carinhosas.
    Não creio que o sentimento nobre tenha evaporado de vc. É algo transitório, vc verá.
    Abraços poéticos!!

    ResponderExcluir
  13. Furtado, obrigado pela visita, pelo comentário carinhoso. Voltarei, com certeza, ao seu espaço de poesia.
    Abraço!!

    ResponderExcluir
  14. Sarah, suas palavras são, sempre, sábias e remetem à reflexão.

    ResponderExcluir
  15. Poeta querido.
    Eu adoro seus comentários no meu blog.
    E o que vc citou "A noite do meu bem", me fez achar essa música agora no site e ouvir a voz doce da Dolores Duram.

    Culpa sua!
    Por me fazer dormir tão bem ouvindo e ouvindo e ouvindo Dolores (Sem dores rs).

    Aquele abraço apertado!
    Beijo de boa noite.
    Durma bem!

    ResponderExcluir
  16. "quero a alegria de um barco voltando, quero ternura de mãos se encontrando..."

    Beijo noturno, que faz tão bem.

    ResponderExcluir
  17. Que coisa linda seu poema Alma querido.
    Sensivelmente belo.
    Bjs de luz. Goretti

    ResponderExcluir
  18. Luz no beijo e na vida, Goretti.

    ResponderExcluir
  19. O querido Saramago dizia: "a felicidade consiste no passo a passo a si mesmo."
    Mesmo em sonho, mesmo sem clarão, a meta é visível e os desejos nos levam ...
    A gente só sonha porque vive!!!
    Beijos, beijos e beijos

    ResponderExcluir
  20. Querida Bruxa, a gente só vive porque sonha!!!
    Muitos beijos!!

    ResponderExcluir
  21. Ás vezes eu sonho que vivo..me imagino brisa..me tenho vento...me deixo ir como onda
    e sussurro gotinhas de vida em seu peito.
    Repara não,rsrsrsrs delirando aqui!!!!
    Beijos, beijos e beijos

    ResponderExcluir
  22. E que lírico delírio!!
    Beijos...

    ResponderExcluir